Quinta, 21 Janeiro 2021 21:00

Brincadeira entre amigos vira projeto que já distribuiu mais de 15 mil cookies a trabalhadores essenciais

Escrito por

Scott McKenzie foi afastado do trabalho e decidiu aprender algo novo; aos postar seus biscoitos nas redes sociais foi desafiado por um amigo

Uma competição que começou com uma brincadeira virou uma iniciativa que está ajudando trabalhadores durante a pandemia. Em abril desde ano, o americano Scott McKenzie, de 58 anos, foi dispensado do seu trabalho devido à crise gerada pela Covid-19 e decidiu estabelecer para si mesmo uma meta de aprender uma nova habilidade por semana e a primeira foi a de assar biscoito.

Os primeiros biscoitos de chocolate não saíram perfeitos, mas ficaram muito saborosos. Scott, que trabalhava em uma faculdade de artes, postou sua tentativa no Facebook e seu amigo, o professor de inglês Jeremy Uhrich, de 42 anos, comentou em tom de brincadeira que tinha certeza que poderia fazer melhor que ele. Foi então que os amigos decidiram fazer uma competição.

Uma ex-aluna de Jeremy, Rachel Kyle, de 18 anos, ficou sabendo do desafio pelas redes sociais e decidiu participar. Os três competidores fizeram os cookies e quem julgou o vencedor foi David Wessels, prefeito de Huntingdon Borough, distrito da Pensilvânia, nos Estados Unidos. Quem venceu a competição foi Rachel. Scott e Jeremy decidiram então dar uma volta na vizinhança e entregar aos trabalhadores da região os biscoitos que tinha sobrado da competição e todos ficaram muito felizes.

“Saímos dessa experiência dizendo: ‘Um pouco de açúcar e um pouco de farinha podem ajudar muito. Devíamos fazer de novo’”, contou o professor de inglês em entrevista ao The Washington Post, segundo divulgado pelo Good News Network. Animados para fazer mais biscoitos, a dupla de amigos transformou a iniciativa em um projeto chamado Cookies for Caregivers.

“Ele nasceu como um reflexo da nossa experiência com a Covid-19 em 2020. Muitas pessoas continuaram a trabalhar e a servir a comunidade enquanto outras eram orientadas a ficar em casa ou passaram a trabalhar em casa. Decidimos mostrar nossa gratidão a essas pessoas que trabalham por nós, dando biscoitos como um modesto sinal de nosso apreço e respeito”, escreveram os amigos no Facebook.

Scott e Jeremy decidiram fazer biscoitos em larga escala e pediram ajuda para profissionais com algum conhecimento em panificação, o que eles não esperavam era, em apenas alguns dias, receber o contato de mais de 100 aspirantes a confeiteiros. Com tantos voluntários, eles conseguiram organizar um rodízio com os voluntários.

Nos primeiros oito meses após a criação dos Cookies for Caregivers, os amigos estimam que tenham feito 15,6 mil biscoitos – que foram entregues a funcionários de trabalhos essenciais, como em profissionais de hospitais, delegacias, corpo de bombeiro e até mesmo na redação do jornal local. Scott já voltou ao trabalho, mas ele continua fazendo os cookies. “Esta comunidade é pequena em tamanho, mas é enorme de coração.”

 

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.